HOME   |   Concursos, Paisagismo, Projeto  |   Projeto vencedor de Concurso resgata a história e preserva a vegetação da Praça Central de Guaratuba

Projeto vencedor de Concurso resgata a história e preserva a vegetação da Praça Central de Guaratuba

Concursos, Paisagismo, Projeto
01/09/2017
É a primeira vez que um concurso público de projetos de Arquitetura foi realizado na cidade do litoral do Paraná. Equipe que ficou em primeiro lugar é de Santa Catarina.

“O projeto da praça parte de um amplo olhar sobre a cidade: o desenho propõe a conexão e a valorização dos elementos históricos remanescentes, a integração de áreas verdes e o ecossistema local e, principalmente, o resgate da relação da cidade e da praça com a Baía de Guaratuba”. Este é um dos trechos do memorial descritivo que define o projeto vencedor do Concurso Público de Anteprojeto de Arquitetura para a Revitalização da Praça Alexandre Mafra – a Praça Central de Guaratuba, cidade que fica no litoral do Paraná. O certame foi organizado pela regional paranaense do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-PR) e teve o apoio do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Paraná (CAU/PR).

A equipe que ficou em primeiro lugar é de Santa Catarina e foi formada por jovens profissionais de três escritórios: Desterro Arquitetos, Bloco B Arquitetura e Giz de Terra Paisagismo. Sete arquitetos e urbanistas assinaram a proposta ganhadora: Arthur Eduardo Becker Lins, Felipe Cemin Finger, Vitor Sadowski, Camilla Sbeghen Ghisleni, Gabriela Fernandes Favero, Júlia de Fáveri e Laura Rotter Schmidt. “Nunca atuamos em conjunto. Alcançar este resultado foi muito satisfatório e significativo, em um trabalho desenvolvido coletivamente ao longo de quase dois meses”, salienta o grupo.

O projeto resgata a história da formação urbana de Guaratuba, quando a praça e a igreja constituíam um largo voltado para a Baía. “A visita ao local e a conversa com moradores foram determinantes para o desenvolvimento de um desenho de traços marcantes e linhas simples, que estabelece espaços aconchegantes e confortáveis para o convívio e confraternização da população”, destacam os integrantes da equipe.

Outra preocupação da proposta foi com as árvores da praça. O projeto procura manter as que já estão no local, prevê a retirada de espécies exóticas e a inclusão de espécies locais. “O paisagismo desenvolvido projeta uma praça viva e conectada aos espaços verdes preexistentes, além de criar áreas sombreadas de estar. Esperamos que a cidade de Guaratuba receba um espaço com a qualidade que merece”.

ONU recomenda o concurso público para a seleção de projetos de Arquitetura

Integrante da comissão que julgou os 42 projetos recebidos no concurso, o arquiteto e urbanista João Virmond Suplicy Neto, ex-presidente da Federação Panamericana de Associações de Arquitetos (FPAA) disse que os fatores determinantes para a escolha do projeto vencedor foram “a aplicação da noção de conjunto e diretrizes urbanas, o bom desenho de mobiliário urbano e o cuidado com o paisagismo, além dos demais tópicos descritos na Ata do Concurso”. Ainda participaram da comissão julgadora o secretário de Urbanismo de Guaratuba, arquiteto e urbanista Fausto André da Mota, e o arquiteto e historiador, Irã Taborda Dudeque. Este substituiu a arquiteta e urbanista Mirna Cortopassi Lobo, que inicialmente integrava a comissão e que não pode participar do julgamento por problemas de saúde.

De acordo com Suplicy, “como em muitos concursos públicos de projetos, houve a inscrição de trabalhos com diferentes potenciais. De uma maneira geral, os projetos apresentaram boas soluções para a Praça Central de Guaratuba”.

O arquiteto e urbanista ainda destaca que o concurso público para a seleção de projetos de Arquitetura é a melhor modalidade de licitação para obras públicas, recomendada pela ONU, defendida pelo Instituto de Arquitetos do Brasil, pela FPAA e pela União Internacional de Arquitetos. “Como Arquitetura é expressão de cultura, os concursos permitem obras de qualidade, que qualificam espaços, criam referência, propiciam sentido de inclusão e de pertencimento ao território para os cidadãos. Quem ganha é a cidade e a sociedade”, afirma Suplicy.

Concurso público de projetos é novidade em Guaratuba

O secretário de Urbanismo de Guaratuba, arquiteto e urbanista Fausto André da Mota, revela que esta é a primeira vez na história da cidade que a administração municipal realiza um concurso público de projetos de Arquitetura. Agora, os próximos passos são a assinatura do contrato com a equipe vencedora do concurso – que fará o detalhamento do projeto executivo e dos projetos complementares, a aprovação dos projetos junto à Caixa Econômica Federal e a licitação para escolha da empresa que fará a execução. “O prazo para início das obras vai depender dessas etapas, mas esperamos que comecem logo depois da temporada de verão”, acredita Mota.

O prefeito da cidade litorânea, Roberto Justus, ressalta a organização feita pelo IAB-PR para o concurso nacional. “O IAB-PR ouviu as sugestões dos moradores em audiências públicas e teve uma preocupação muito grande com a história da praça”. Para o prefeito, além de valorizar a centenária Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, o projeto escolhido vai dar nova vida à praça e ao comércio local. “Hoje, muitas lojas que ficam ao redor da praça estão fechadas e o espaço é pouco frequentado pelos moradores e turistas. Nossa ideia é reverter esse quadro, fortalecer o comércio e gerar emprego e renda. A praça vai voltar a ser um local de convívio e de entretenimento para as pessoas”, finaliza.


Via: CAU/PR
Texto: Alisson Castro

Comentários: